Já está rolando um “Ti-Ti-ti”


A característica para tanto me agradar, é a que se predestinavam as novelas que ocupavam esse horário. Tramas leves, engraçadas, com boas doses de suspense e romance. 

Sei que já citei isso aqui em minha coluna, mas vou relembrar. As novelas desse horário são feitas para atingir a família em seu momento mais descontraído: o do jantar. Por isso a ideia de apresentar uma história leve e com atributos para agradadar à todos.

De um tempo para cá, esses foletins perderam um pouco sua característica. Hora tentando aplicar temas mais pesados, hora apelando para a modernidade. Em algumas produções, até foi bem aceito, como o caso de Da Cor do Pecado. Em compensação em outros, um fiasco total.

Prova disso foi a mais recente Tempos Modernos, que se não bastasse apresentar uma história apontada como sem pé nem cabeça, teve o árduo desafio de estrear logo após Caras & Bocas, sucesso aclamado pelo público e crítica, que trouxe de volta o jeito “novela das sete” de ser.  

Isso não significa que as produções que ocupam este horário não possam ter vilões. Claro que podem, mas àqueles que apresentam graça. Que se dão mal, quebram a cara quase sempre e ainda protagonizam cenas de comédia pastelão.

Pensando nisso, ou não, sei lá, a TV Globo trouxe de volta um marco entre as novelas da década de 80. Ti Ti Ti foi reeditada para os tempos atuais e promete manter o que lhe fez atingir consideráveis índices de audiência e simpatia: o humor.

 Escrita originalmente pelo saudoso Cassiano Gabus Mendes, agora tem texto adaptado por Maria Adelaide Amaral e direção de Jorge Fernando. Sua história é baseada na rixa entre Ariclenes Almeida e André Spina, dois conhecidos, que desde a infância – vivida em uma vila do subúrbio paulista – já não se bicavam.

Passados muitos anos, os desafetos voltam a se encontrar. Sendo que André virou o estilista Jacques Leclair e se tornou famoso no mundo da moda. Enquanto que Ariclenes não deu sorte na vida pessoal e profissional. 

A trama começa a ficar interessante quando Ariclenes descobre uma senhora com problemas mentais e talento para alta costura. Ela veste bonecas com roupas maravilhosas e será através desses modelos, que ele se lançará no mercado com o pseudômino de Victor Valentín.          

No roteiro original, essa mulher era a mãe de André, mas não sei se a mesma trama será mantida no remake. Que aliás, é uma fusão entre dois sucessos globais. Além de Ti Ti Ti, a nova novela das sete trará personagens de Plumas e Paetês, outro folhetim da época também focado na moda.

Ti Ti Ti estreou com a palavra sucesso estampada na cara. A expectativa em cima dela era grande e parece que já disse a que veio. História engraçada, ótimas atuações, muita música dos anos 80 em sua trilha sonora e a releitura da abertura original, com novos recursos gráficos.
 

Além disso tem Rita Lee interpretando a música tema “Ti Ti Ti”, assinada por ela e Roberto de Carvalho. Vale lembrar que na primeira versão da novela, a mesma era cantada pelo extinto grupo Metrô.  

Bom, eu aprovei e é com muita alegria que afirmo: voltei a ter prazer em assistir uma novela das sete. E quanto à você?  

                   Fonte:http://natelinha.uol.com.br/2010/07/22/not_32803.php

Deixe um comentário

Arquivado em televisão notícias

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s