Marcílio Moraes critica classificação indicativa dos programas de TV


O autor de “Ribeirão do Tempo”, Marcílio Moraes, criticou a classificação indicativa dos programas de TV, definida pelo Ministério da Justiça.

Para ele, os critérios usados pelo órgão são inadequados. “Esses conceitos são ridículos. Os burocratas da censura, disfarçada de ‘classificação obrigatória’, têm critérios como: se a obra contém mais de 20% de sexo, 30% de violência etc. Tentam quantificar a subjetividade”, questiona o novelista.

Sua novela já foi reclassificada duas vezes pelo órgão. Primeiramente, “Ribeirão do Tempo” tinha classificação livre. Entretanto, algum tempo depois foi considerada como inadequada para menores de dez anos. Nos últimos dias, o folhetim foi reclassificado novamente, dessa vez para impróprio para menores de 14 anos, pelo fato de a história conter cenas de erotização e de uso de drogas.

Com informações do jornal Folha de S. Paulo.

Deixe um comentário

Arquivado em televisão notícias

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s